S. Teotónio » Odeceixe

Etapa do Caminho Histórico

15 / 17 Km

Este é um dia de caminhada memorável, em que irá percorrer trilhos inóspitos, cobertos de vegetação autóctone e bem preservada, descer a vales fundos e subir de novo às alturas da serra, apreciando a vista sobre o casario de Odeceixe e o mar. No final terá o Algarve à vista e ligação com o Trilho dos Pescadores.

Vale a pena fazer este troço na Primavera, quando a violência das cheias já acalmou e a vida explode com todo o fulgor. Tanto junto às ribeiras como nos matos, a biodiversidade é absolutamente espantosa. Carqueja, orégão, estevinha, roselha, folhado, murta, urze, tojo, pilriteiro, aroeira ou trovisco são apenas alguns dos arbustos que abundam pelo percurso.As aves respondem a esta diversidade enchendo o espaço com o seu canto e voos hábeis. As hortas e campos de cultivo ocupam as várzeas, terrenos planos, frescos e férteis, tão raros nesta paisagem de solos pobres e delgados.

As galerias ripícolas são fantásticas, com freixo, amieiro, carvalho-cerquinho, salgueiro e tamargueira. As folhas destas árvores são caducas, deixando a luz entrar na ribeira no Inverno e protegendo o habitat no Verão, com a sua sombra. Quando atravessar as ribeiras, repare nos orifícios escavados nas barreiras junto ao leito: são do rato-de-água, um simpático roedor que faz lembrar um pequeno castor, não só na forma do corpo como na agilidade em meio aquático.No Outono vale a pena pedir aos habitantes das casas rurais para provar a fruta dos pomares. O sabor é único… Existem muitas variedades locais de frutos e legumes que estão agora a tentar salvar-se da extinção, por associações e autarquias.

Onde começar

S. Teotónio

No Largo Gomes Freire, largo da Igreja, também conhecido por Quintalão, seguindo em direcção ao cemitério.

Odeceixe

No início da Rua do Rio. Seguir paralelo à ribeira do lado sul, sem atravessar a ponte rodoviária.

Ficha Técnica

Grau de Dificuldade: Fácil / Algo difícil

Extensão: 15 / 17 km
Duração Aproximada: 5 h / 6 h

Subida Acumulada: 200 / 400 m
Descida Acumulada: 350 / 550 m

Altitude Máxima: 189 m
Altitude Mínima: 10 m

Época Aconselhada: Setembro a Junho

Regras e Recomendações

A CIRCULAÇÃO DE VIATURAS MOTORIZADAS COLOCA OS CAMINHANTES EM RISCO.

EVITE FAZER O CAMINHO HISTÓRICO DE MOTO OU JIPE, ESTUDE ALTERNATIVAS

NÃO FAÇA FOGO.

VÁRIAS QUINTAS E REBANHOS SÃO PROTEGIDOS POR CÃES, CIRCULE COM PRECAUÇÃO.

CUIDADO COM O GADO. EMBORA MANSO, NÃO GOSTA DA APROXIMAÇÃO DE ESTRANHOS ÀS SUAS CRIAS.

OS CAMINHOS ATRAVESSAM PROPRIEDADES PRIVADAS, RESPEITE-AS E FECHE SEMPRE PORTÕES E CANCELAS.

FRACO APOIO DE SERVIÇOS TURÍSTICOS AO LONGO DA ETAPA. LEVE SEMPRE ÁGUA E MANTIMENTOS.

EM ALGUMAS SITUAÇÕES TERÁ QUE ATRAVESSAR ESTRADAS ASFALTADAS, TENHA ATENÇÃO.

ENCONTRARÁ VÁRIOS LOCAIS IDEAIS PARA UM PIQUENIQUE, CARREGUE SEMPRE O LIXO CONSIGO.

SEJA AFÁVEL COM OS LOCAIS, APRESENTE O SEU PROPÓSITO E APROVEITE PARA PARTILHAR EXPERIÊNCIAS.

Dicas

Abastecimento durante o percurso
Ao km 14, atravessa a aldeia de S. Miguel.

Avisos Importantes

Duas variantes nesta etapa
A variante de maior extensão passa por um vale de extrema beleza, no entanto não pode ser efetuada em períodos de elevada precipitação. Neste caso, opte pela variante mais curta.
Em períodos de chuva intensa, o troço entre S. Miguel e Odeceixe pode ficar bastante alagado sendo impossível atravessar a ribeira de Seixe. Neste caso termine a sua caminhada na aldeia de S. Miguel, ou siga pela estrada até Odeceixe.

Marcação alternativa à saída S. Teotónio
1 km depois da saída de S. Teotónio, o caminho está marcado de forma alternativa, com mariolas (pedras empilhadas) de maneira a acautelar os interesses dos proprietários e do projecto.

Comece a escrever e carregue em Enter para procurar

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!