Cerros da Carrapateira

Etapa do Percurso Circular

14 Km

As sucessivas panorâmicas que se obtêm do topo dos cerros, sobre as praias do Amado e Bordeira, aldeias da Carrapateira e Vilarinha, bem como de toda a zona circundante até à Fóia de Monchique, tornam esta caminhada num espectáculo para quem aprecia grandes vistas.

O troço mais Sudoeste deste Percurso Circular, mais próximo do mar, segue entre pastagens, pousios e matos baixos e abertos. Predomina o tojo-do-sul, que na primavera tinge as colinas de um glorioso amarelo. Mas a fazer-lhe companhia estão muitas outras espécies, como o tomilho-canforado e a esteva-de-Sagres (espécies que só podem ser encontradas na costa Sudoeste de Portugal), a aroeira, o trovisco, a cebola-do-mar, o espargo-bravo ou a joina-das-areias. Nos pinhais de pinheiro manso, é frequente o tojo-prateado (Ulex argenteus), uma espécie endémica de Portugal; a cor dos espinhos não é verde como a maior parte dos tojos, mas cinza-prata, como o próprio nome indica.

No troço mais a nascente deste percurso, encontra magníficas manchas de floresta de sobreiro com matagal de medronheiro, mas também comunidades mais pobres, em áreas onde antes já existiram sobreirais. O empobrecimento do habitat resultou do fogo e da plantação de pinhais e eucaliptais. O coberto arbustivo é aqui mais pobre, dominado pela esteva. As espécies invasoras (acácia e outras) aproveitam a perturbação para se imporem. Aproveite, pois, a descida para a Vilarinha para apreciar os sobreirais, habitat de numerosas espécies da fauna. Nas aves, destaque para o tentilhão, a milheirinha, a carriça, as toutinegras, o rouxinol ou as felosas. Os sobreiros mais velhos, ou até mortos, fornecem as cavidades naturais necessárias para espécies cavernícolas como os morcegos e diferentes espécies de aves: corujas, pica-paus, torcicolo, chapins ou trepadeiras. Também comuns neste habitat são répteis como o sardão, a lagartixa-do-mato, a cobra- rateira e a cobra-de-escada.

Onde começar

Carrapateira
No Largo do Comércio, seguindo na estrada nacional para Vila do Bispo e entrando à direita na direcção da Praia do Amado.

Ficha Técnica

Grau de Dificuldade: Algo difícil 

Extensão: 14 km
Duração Aproximada: 5 h

Subida Acumulada: 0 m
Descida Acumulada: 400 m

Altitude Máxima: 130 m
Altitude Mínima: 10 m

Época Aconselhada: Setembro a Junho

Regras e Recomendações

A CIRCULAÇÃO DE VIATURAS MOTORIZADAS COLOCA OS CAMINHANTES EM RISCO.

EVITE FAZER O CAMINHO HISTÓRICO DE MOTO OU JIPE, ESTUDE ALTERNATIVAS

NÃO FAÇA FOGO.

VÁRIAS QUINTAS E REBANHOS SÃO PROTEGIDOS POR CÃES, CIRCULE COM PRECAUÇÃO.

CUIDADO COM O GADO. EMBORA MANSO, NÃO GOSTA DA APROXIMAÇÃO DE ESTRANHOS ÀS SUAS CRIAS.

OS CAMINHOS ATRAVESSAM PROPRIEDADES PRIVADAS, RESPEITE-AS E FECHE SEMPRE PORTÕES E CANCELAS.

FRACO APOIO DE SERVIÇOS TURÍSTICOS AO LONGO DA ETAPA. LEVE SEMPRE ÁGUA E MANTIMENTOS.

EM ALGUMAS SITUAÇÕES TERÁ QUE ATRAVESSAR ESTRADAS ASFALTADAS, TENHA ATENÇÃO.

ENCONTRARÁ VÁRIOS LOCAIS IDEAIS PARA UM PIQUENIQUE, CARREGUE SEMPRE O LIXO CONSIGO.

SEJA AFÁVEL COM OS LOCAIS, APRESENTE O SEU PROPÓSITO E APROVEITE PARA PARTILHAR EXPERIÊNCIAS.

Dicas

Abastecimento durante o percurso
Apenas na aldeia da Carrapateira.

Várias combinações possíveis
Este percurso cria uma série de combinações possíveis, para vários dias a caminhar na região. Estude o mapa e tire o máximo partido da rede de percursos existente, combinando o Percurso Circular com a etapa Carrapateira » Vila do Bispo do Caminho Histórico e o Percurso Circular Pontal da Carrapateira.

Avisos Importantes

Marcação
Os Percursos Circulares são sinalizados com as cores amarela e vermelha. Quando o percurso é coincidente com o Caminho Histórico, as marcas de “caminho certo” passam a ter três cores – branco, amarelo e vermelho – enquanto as de mudança de direcção mantêm as cores do Caminho Histórico – branco e vermelho.

Comece a escrever e carregue em Enter para procurar

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!