fbpx

Grande Travessia

GT 3

São Luís » Odemira

28 KM

A terceira etapa da Grande Travessia liga S.Luís a Odemira e é um percurso incrivelmente bonito! Atravessa uma natureza preservada, apenas visitando algumas aldeias remotas na primeira metade do trajeto.Para além de inúmeras pequenas subidas e descidas, tem como principal dificuldade ao km 11 uma subida de 5 km quase contínua. Após 1,5 km junta-se aos percursos de BTT 22 Castelão e 23 Troviscais e Mira, também marcados no terreno, seguindo com eles por caminhos ladeados de quintinhas, quase sempre num ambiente mágico de florestas de sobreiros.Ao km 10 acompanha durante 1 km a Ribeira do Torgal por um pitoresco e refrescante caminho quase em single-track.Ao km 15 separa-se do 22 Castelão e logo mais à frente deixa também a companhia do 23 Troviscais e Mira, seguindo sozinho durante quase 6 km. É nesta parte que atravessa pela terceira vez a Ribeira do Torgal quase junto à sua Foz e depois desce para a beira do Rio Mira.É aí que encontra o percurso 2 Foz do Torgal, do Núcleo de Odemira, com quem segue até ao fim, em curvas e contracurvas que propiciam vistas maravilhosas para o rio e as serranias.

Ficha Técnica

Grau de Dificuldade: Difícil

Tipo de Percurso: Entre 2 pontos

Extensão: 28 km

Duração: 1 h 15 a 2 h

Marcado no Terreno: Sim

Desnível Acumulado: 450 / 600 m

Altitude Máxima: 169 m
Altitude Mínima: 3 m

Nível Técnico: 2 (5)

Nível Físico: 2 (5)

Época Aconselhada: Setembro a Junho

Dicas

Todas as etapas da Grande Travessia são viáveis com bicicletas dos tipos BTT, Gravel e Touring.

Ao km 22, antes de atravessar a Ribeira do Torgal, faça um pequeno desvio indo sempre em frente até ao ponto exacto em que a ribeira desagua no Rio Mira. A vista é imperdível e o lugar tem uma magia especial!

Pontos de apoio:
Km 3 – Cova da Zorra (ponto de água)
Km 15 – Castelão
Km 18 – Troviscais

Avisos Importantes

O trajeto segue pelo interior de pequenas aldeias e cruza frequentemente pacatas estradas nacionais e municipais.

No campo, segue sobretudo por caminhos e estradões abertos à circulação, onde por vezes pode encontrar trânsito automóvel.

Pode haver a necessidade de abrir cancelas de proteção de gado pelo que, sempre que seja o caso, deverão ser de novo fechadas após passagem.

Não tem travessia a vau de linhas de água significativas graças a poldras ou pequenas pontes em madeira.

Após chuvas intensas, alguns caminhos podem estar alagados ou muito enlameados, nomeadamente entre os km 22 e 23 nas imediações da última passagem da Ribeira do Torgal, onde pode haver bastante lama sendo necessário especial atenção nessas circunstâncias.

Percursos comuns

Percursos de ligação

Comece a escrever e carregue em Enter para procurar

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!