fbpx

Núcleo de São Luís

25

Porto Covo

82.5 KM

Percurso muito difícil, que o irá levar até à costa em Porto Covo. A cor deste trajecto deve-se não só á sua extensão como a várias outras dificuldades que prometem entusiasmar os BTTistas mais exigentes.

O traçado tem vários single tracks nomeadamente dois extraordinários na Serra do Cercal (km 17), outro nas falésias de Porto Covo (km 40), um muito interessante no meio de estevas (km 56) e por último o imperdível single do dique do Mira (km 67).

O percurso inclui também várias passagens a vau de linhas de água que podem ser problemáticas ou perigosas após chuvas muito intensas.

Note que o traçado passa na prainha do porto de pesca de Porto Covo o que pode ser inviável ou perigoso durante a maré cheia.

As paisagens deste percurso  são sobretudo de caminhos e trilhos rurais e florestais, e, por vezes, sobre algum asfalto. Explora também uma pequena parte do litoral entre dois lugares emblemáticos da região, Porto Covo e o Forte do Pessegueiro.

Para além de Porto Covo, passa ainda nas povoações do Cercal do Alentejo, Sonega e Vale Bejinha.

Ficha Técnica

GRAU DE DIFICULDADE: Muito difícil

TIPO DE PERCURSO: Circuito no sentido anti-horário

EXTENSÃO: 82.5 km

DURAÇÃO: 4h00 a 6h00

MARCADO NO TERRENO: Não

DESNÍVEL ACUMULADO: 1140m

ALTITUDE MÁXIMA: 311m
ALTITUDE MÍNIMA: 1m

NÍVEL TÉCNICO: 3 (5)

NÍVEL FÍSICO: 4 (5)

ÉPOCA ACONSELHADA: Todo o ano evitando temperaturas acima dos 30º

Dicas

Em Porto Covo dê uma pequena saltada até ao Largo Marquês de Pombal, pequena pracinha pedonal e central.

Este percurso é uma versão mais curta do “Preto Campilhas Porto Covo” que pode optar por fazer se este trajecto lhe parecer demasiado fácil.

Pontos de apoio:
Km 12 – Cercal do Alentejo
Km 31 – Sonega
Km 40 – Porto Covo
Km 45 – Forte do Pessegueiro
Km 49 – Ribª da Azenha (prox. 300 m)
Km 72 – Vale Bejinha

Avisos Importantes

O trajecto percorre algumas ruas do centro de São Luís, atravessa inúmeras vezes estradas nacionais e municipais que podem ter muito trânsito. Recomenda-se prudência.

Uma parte do percurso é coincidente com o Trilho dos Pescadores (TP), o Caminho Histórico (GR11) e alguns Percursos Circulares todos da Rota Vicentina pelo que é muito provável o encontro com caminhantes.

Pode haver a necessidade de abrir cancelas de protecção de gado. Feche-as após passagem.

Após chuvas intensas alguns caminhos podem estar alagados ou muito enlameados. Também algumas passagens a vau de linhas de água podem ser inviáveis ou perigosas.

Em alguns troços encontrará subitamente muita areia. Mantenha-se atento e adapte a velocidade.

Percursos comuns com o Núcleo

Percursos de ligação com outros Núcleos

Comece a escrever e carregue em Enter para procurar

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!