É com orgulho e alegria que a Rota Vicentina apoia todos os que desejem conhecer melhor este maravilhoso pedaço de terra, porque acreditamos profundamente que o turismo responsável pode mudar o mundo, tornando-o melhor para todos.

Se acredita que a forma de proteger e manter esta região íntegra – com a sua natureza excepcional, cultura única e modo de vida autêntico – depende de cada um de nós, junte-se a este projecto e torne-se um verdadeiro Guardião do Ecossistema Sustentável da Rota Vicentina.

Enfrente este desafio connosco!

O conceito de Turismo Responsável foi definido na Cidade do Cabo em 2002, paralelamente à Cimeira Mundial de Desenvolvimento Sustentável: “dedica-se à criação de lugares melhores para as pessoas morarem e melhores lugares para as pessoas visitarem”.

“Um dos 6 trilhos costeiros mais bonitos do mundo”

Revista Condé Nast Traveler

Nunca pode ser bom para visitar se não for bom para viver. E viver nesta região não significa apenas acordar aqui todas as manhãs; é também ser responsável pelo território, pertencer a uma comunidade que faz parte deste local e que possibilita que este seja visitado de uma forma segura e confortável.

Esteja aberto a partilhar experiências e conhecer melhor o modo de vida local. Afaste-se das multidões que se juntam na costa e aproveite para explorar toda a região. Este território está vivo e precisa de ser acarinhado. Há maravilhosos tesouros escondidos e as comunidades residentes estão prontas para o receber

Escolha actividades proporcionadas pela comunidade. Ficará fascinado com tudo o que lhe pode oferecer!

A Rota Vicentina está integrada num Parque Natural, pelo que a sua protecção é um desafio, com paisagens intactas a conviver com agricultura, vilas, negócios locais e turismo. Só com o cuidado e a atenção de todos conseguiremos preservar esta região única

Não se afaste dos trilhos marcados, já que, para além de lhe indicarem o caminho certo, protegem o habitat de centenas de animais e plantas endémicas desta região

Muito mais do que falésias de cortar a respiração. Não deixe de experimentar o Trilho dos Pescadores, mas aproveite para conhecer sobretudo o Caminho Histórico e os Percursos Circulares. Acredite que cada passo é uma viagem no tempo, com paisagens naturais intactas e aldeias que se mantêm fiéis às tradições.

Não deixe nenhuma pegada ambiental. A Rota Vicentina trabalha arduamente para proteger esta região. Faça a sua parte deixando tudo como encontrou, natural e bonito. Em cada passo, a cada sorriso, deixe o melhor de si.

A comunidade residente está cada mais ciente da importância da protecção ambiental. Mas também precisamos que os visitantes assumam este compromisso. Assuma este desafio e faça parte deste ecossistema!

A comunidade local não vive apenas nesta terra, mas também do que a terra lhe dá e dos serviços que pode oferecer aqui. Os visitantes podem contribuir para o seu desenvolvimento, preferindo negócios e produtos locais.

Esteja atento aos produtos endógenos e aos serviços que apoiam a identidade local e o ambiente.

Escolha as empresas parceiras da Rota Vicentina. Há muitos anos que o seu investimento está vocacionado para lhe oferecer os melhores trilhos e instalações dedicadas!

Escolha qualidade em vez de quantidade. Os negócios locais estão a tentar alinhar-se com a urgência global de reduzir o seu impacto e nivelar as condições de vida de todos.

6 passos a caminho do Turismo Responsável na Rota Vicentina:

1 – Viaje lenta e profundamente

Alinhe o seu mind set para um plano mais eficiente e razoável, reduzindo o seu número de viagens e aumentando as suas estadias, de forma a imergir em cada local que visitar.

A Rota Vicentina não é de fácil acesso. Por isso, aproveite a oportunidade para ficar pelo menos uma semana na região e entrar no seu ritmo.

2 – Evite as multidões: os trilhos mais procurados e a época alta

Explore com consciência. O problema nunca são as pessoas a mais, mas a sua concentração em determinados locais.

A Rota Vicentina está espalhada por toda a região. São cerca de 750 km para caminhar e mais de 1000 para pedalar em BTT. Combine a maravilhosa costa com experiências rurais que não cessarão de o surpreender; não se junte às multidões de Verão mas considere visitar a região entre Novembro e Março se deseja sentir a natureza intacta à sua volta.

3 – Confirme se as empresas que escolheu estão comprometidas com a sustentabilidade

Fazer parte da rede da Rota Vicentina diz muito sobre uma empresa, já que são elas que apoiam o nosso investimento global não só no turismo como também em ferramentas de sustentabilidade, network adequado, standarts de qualidade, etc. Mas vá mais longe e questione o seu fornecedor de serviços sobre as suas preocupações com o ambiente, com a identidade local ou a comunidade residente, e baseie a sua decisão nesses factores.

4 – Seja um viajante local consciencioso

Tudo conta, desde o seu itinerário, à duração da sua estadia, às actividades que escolher, os meios de transporte, o que compra, com quem conversa, como gasta o seu dinheiro.

Antes de planear a sua viagem, leia as recomendações e sugestões da Rota Vicentina mas procure também outras fontes de informação. Estas ajudarão a mostrar-lhe o quão importante o seu papel pode ser quando cá estiver. Faça da sua viagem uma jornada conscienciosa e trará consigo muito mais do que boas memórias, deixará uma boa parte de si aqui.

5 – Faça-se ouvir

Dê-nos o seu feedback e contacte as autoridades se vir algo errado. Precisamos que a sua voz seja ouvida de forma a ajudar-nos a alcançar um maior investimento público em sustentabilidade na região.

6 – Proteja a natureza

Toda a região costeira é protegida e precisamos de turistas responsáveis para ajudar a preservá-la e mantê-la tão intacta quanto está hoje. Acampamento selvagem e parqueamento de autocaravanas em falésias parece algo maravilhoso, mas está a tornar-se um problema por causa do lixo e do impacto visual.

Respeite a lei e não pernoite na costa, não use as falésias para acampar, recolha o seu lixo, seja sanitário ou não. Siga os trilhos marcados e não recolha pedras, conchas, ou plantas pelo caminho.

É um turista responsável?

1 Viaje lenta e Profundamente
2 Evite as multidões: os trilhos mais procurados e a época alta
3 Confirme se as empresas que escolheu estão comprometidas com a sustentabilidade
4 Seja um viajante local consciencioso
5 Faça-se ouvir
6 Proteja a natureza
  • 1 - Viaje lenta e profundamente

Comece a escrever e carregue em Enter para procurar

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
X